Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Economia do Rio / Competitividade

Rio Exporta outubro: alta das exportações puxa superávit da balança comercial

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 11/11/21 18:59  -  Atualizado em  11/11/21 19:05

O estado do Rio registrou superávit de US$ 9,2 bilhões na balança comercial de janeiro a setembro deste ano, ante o mesmo período de 2020, puxado pela alta de 35% das exportações (US$ 23,7 bi). As importações cresceram 6% na mesma comparação, para US$ 14,5 bilhões. “O estado se mantém no caminho de melhoria do resultado de suas exportações e também como terceiro player em participação na corrente de comércio nacional, atrás de São Paulo e Minas Gerais”, avalia Giorgio Luigi Rossi, coordenador da Firjan Internacional.

De acordo com o Boletim Rio Exporta, publicado pela Firjan, o aumento das exportações fluminenses foi consequência, principalmente, do incremento de 37% nas vendas de produtos básicos e de 83% nas de semimanufaturados. Entre as indústrias, destaca-se a alta de 38% nas exportações de veículos automotores, reboques e carrocerias (US$ 432 milhões), com mais 125% dos embarques de veículos de carga. Na indústria de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, o avanço foi de 41% no acumulado anual, reflexo da alta de 31% das exportações de gasolina.

No comércio exclusive petróleo, as exportações do Rio cresceram 29%, com elevação de 23% nas vendas para o USMCA (bloco formado por EUA, México e Canadá), puxadas pelos embarques para os Estados Unidos. “Os EUA ocupam o primeiro lugar nesse bloco. Dessa forma, acreditamos que a conclusão de acordos comerciais entre o Brasil e os EUA deixaria o Rio em uma situação confortável para melhorar ainda mais sua posição junto aos norte-americanos”, analisa Rossi.

Já as importações fluminenses exclusive petróleo subiram 3% no período, com destaque para o incremento de 32% nas compras do Japão e de 238% da Coreia do Sul, que vendeu produtos para o mercado de petróleo e gás, como componentes e plataformas desmontadas.

No comércio de petróleo, as exportações cresceram 37%, tendo a China como o principal comprador, destino de 49% do produto. As importações de petróleo subiram 51% no período, com alta de 30% nas aquisições vindas da Arábia Saudita e de 304% do Iraque.

O avanço das importações totais do estado do Rio foi resultado da alta de 22% de bens intermediários e de matéria-prima. É possível distinguir o incremento de 14% nas compras de produtos químicos e de 40% de farmoquímicos, reforçando a importância da cadeia da indústria da saúde no Rio. Chama a atenção o crescimento de 231% das importações de catodos de cobre e seus elementos, originadas principalmente do Chile.

Em relação aos índices de Preço e Quantum (quantidade) no acumulado anual, foi positivo o incremento do valor agregado dos produtos da indústria de metalurgia, dado o crescimento de 79% do Índice Preço, associado ao recuo de 11% no Índice Quantum. Isso demonstra um resultado melhor para quem exporta, o valor foi maior em relação a uma quantidade menor.

Acesse o Boletim em www.firjan.com.br/rioexporta

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida