Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Economia do Rio / Economia

Oportunidades e desafios para inovar em saneamento em debate na Casa Firjan

William Figueiredo, gerente de Infraestrutura da Firjan, frisou as oportunidades de investimento para o Rio de Janeiro

William Figueiredo, gerente de Infraestrutura da Firjan, frisou as oportunidades de investimento para o Rio de JaneiroFoto: Paula Johas

13/09/19 14:14  -  Atualizado em  16/09/19 15:32

A universalização dos serviços de coleta e tratamento de esgoto e abastecimento de água é um desafio no Brasil. Apesar de o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab) determinar o alcance dessa meta em 2033, os índices brasileiros ainda estão muito aquém. Para discutir possíveis fontes de financiamento para que as empresas invistam em inovação no setor, a Firjan e a Finep promoveram o Workshop de Inovação para o Saneamento, na Casa Firjan, em 12/09.

Entre os desafios apontados pelos especialistas para melhorar esses serviços no país, estão: elevar o nível de investimento, desconcentrar regionalmente a aplicação dos recursos, estabelecer um ambiente de regulação e planejamento adequado em todo território nacional, aumentar a participação da iniciativa privada e valorizar o potencial social do tema, que envolve áreas como saúde, educação e turismo, por exemplo.

Um levantamento da Firjan na área de saneamento mapeou 21 oportunidades de concessões e PPPs no estado, referentes ao tratamento de água e de esgoto, o que poderia gerar investimentos de R$ 7,6 bilhões. Já em relação às oportunidades para o abastecimento industrial com água de reúso (firjan.com.br/noticias/firjan-mapeia-oportunidades-de-fornecimento-de-agua-de-reuso-para-industrias.htm), a federação mapeou seis oportunidades.

“Se compararmos ao que foi realizado no caso de sucesso do Aquapolo, em São Paulo, e multiplicarmos o valor investido por esses seis projetos que identificamos, teremos um investimento de R$ 2,2 bilhões. Assim, somando o potencial desses dois levantamentos temos um total de R$ 9,8 bilhões em projetos para aquecer a economia”, pontua William Figueiredo, gerente de Infraestrutura da Firjan.

A Zona Oeste Mais Saneamento é uma das empresas privadas responsáveis por serviços de esgotamento sanitário no município do Rio. Ela atua na Zona Oeste e atende 22 bairros, situados na Área de Planejamento 5 (AP5), o que corresponde a 48% de todo o território municipal. “Ao assumirmos a operação, a região possuía menos de 5% de esgoto tratado. Fizemos mais de R$ 600 milhões de investimentos e hoje temos 36% do esgoto sendo tratado. Até o final da concessão investiremos R$ 2,77 bilhões”, afirma Sinval de Araujo, diretor-presidente da empresa.

Oportunidades

Entre as oportunidades disponíveis no mercado para investir em saneamento, Marcel Siqueira, gerente do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) da Eletrobras, destacou o convênio entre a Eletrobras e a Firjan SENAI, que visa à criação de um hub de eficiência energética. “O edital está sendo desenhado baseado na experiência da Firjan SENAI e vai oferecer um aporte total de R$ 15 milhões. Convocamos startups ou micro e pequenas empresas para a aceleração de soluções inovadoras com ênfase em eficiência energética para o saneamento ambiental”, explica.

Outra ferramenta disponível é o Edital de Inovação para a Indústria, focado no aporte de recursos não reembolsáveis, que está com chamada aberta e pode ser utilizado pelas empresas para investir em produtos, processos ou serviços inovadores atrelados ao saneamento. O edital financia projetos a partir de R$ 200 mil até R$ 1 milhão, dependendo da categoria. Os recursos são administrados por uma unidade do SENAI ou SESI.

Atuação

O saneamento é uma das prioridades previstas no Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro, documento elaborado pela Firjan com empresários fluminenses, que norteia as ações da federação para estabelecer no estado do Rio o melhor ambiente de negócios do país.

“Reunimos nesse workshop os principais atores do setor para estabelecer um bom debate. Temos muitas oportunidades para investimento, além da economia que o setor promove na saúde pública, por exemplo. Juntos viabilizaremos soluções”, ressalta Alexandre dos Reis, diretor geral da Firjan SENAI.

Eliane Damasceno, coordenadora da Divisão de Projetos Integrados de Responsabilidade Social da federação, pontuou a importância relativa à inovação nessa área. “A discussão de inovação para o saneamento contribui para a eficiência operacional do setor, mas principalmente no aspecto de inclusão social, considerando que os efeitos da precariedade dos serviços impactam principalmente a população em maior vulnerabilidade social”, afirma.

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida