Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Competitividade

FAB BR3: reconectar é a palavra de ordem para os 130 FabLabs do país

Democratizar o acesso à tecnologia é um dos objetivos da rede FabLab da Firjan

Democratizar o acesso à tecnologia é um dos objetivos da rede FabLab da FirjanFoto: Divulgação

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 11/08/21 10:15  -  Atualizado em  11/08/21 15:37

Conectar as redes e possibilitar o compartilhamento entre laboratórios de fabricação digital, indústrias e pesquisadores são os objetivos dos eventos brasileiro e mundial que ocorrem em agosto com a comunidade maker. O encontro nacional FAB BR3 ocorreu em 07/08, com o tema Reconectando. “A Ideia desse evento é iniciar a reconexão dos 130 FabLabs espalhados pelo Brasil”, adiantou Maria Isabel Oschery, gerente de Conteúdo da Casa Firjan e da Firjan IEL.

Correalizado pela Firjan, Facens, Rede FabLab Brasil e Instituto FabLab Brasil, o FAB BR3 se alinhou ao FAB 16, que reúne a comunidade internacional, de 09 a 15/08. “São mais de 2 mil FabLabs no mundo, e o Brasil possui a quarta maior rede mundial. Ainda temos redes dentro de redes”, salientou Kenzo Abiko, presidente e cofundador do Instituto Fab Lab Brasil.

Democratizar o acesso à tecnologia é um dos objetivos da rede FabLab da Firjan. “Educar e desmistificar todo esse mundo. Fazemos o Open Day, aberto para quem quiser se inscrever, e também atendemos nosso público específico de empresários. Realizamos cursos, oficinas, palestras. Isso desenvolve a cultura do fazer, do tentar, do errar”, exemplifica Isabel.

Na área de educação, Fernando Pinto, coordenador de Educação Profissional da Firjan SENAI, destacou a Metodologia SENAI de Educação Profissional, que conta com a Saga SENAI de Inovação, com a realização dos Grand Prix de Inovação (tipo hacktoons) com alunos e instrutores; os Desafios de Projetos Integradores SENAI + Indústria; e o Inova SENAI, como projetos que estimulam a utilização dos SENAI FabLabs.

“O SENAI FabLab é uma provocação a mais. Todos os alunos da instituição passam por eles e, ainda, nas Escolas Firjan SESI, também temos espaços makers, mais simples do que os FabLabs, mas que orientam para o desenvolvimento pautado no STEAM”, acrescentou.

No encerramento do evento, que teve a participação de diversos especialistas, Kenzo Abiko propôs a criação de grupos de trabalho com reuniões quinzenais para cumprir a proposta de reconectar a rede nacional dos FabLabs.

Acesse aqui a íntegra do evento. 

LEIA TAMBÉM:

Aquário Casa Firjan: observar é o primeiro passo para o sucesso da prototipagem

FabLab mostra como a fabricação digital facilita a cocriação no mundo a partir de projetos abertos

 

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida