Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Economia do Rio / Firjan

Apesar da atividade industrial fraca, empresários fluminenses estão confiantes

09/08/19 13:25  -  Atualizado em  09/08/19 13:32

Diante da lenta retomada da atividade econômica, quase todas as regiões do estado do Rio reduziram a produção industrial no segundo trimestre do ano, com exceção para a região Serrana, que apresentou estabilidade no volume de produção. Os dados são da Sondagem Industrial Regional, elaborada pela Firjan. Apesar dos resultados, a maioria dos empresários fluminenses está confiante e otimista para os próximos seis meses. Um dos destaques é quanto à expectativa de contratação, pela primeira vez no ano, nas regiões Centro-Norte, Serrana e Nova Iguaçu e Região.

“O resultado desse indicador, ainda que restrito a poucas regiões, é uma sinalização positiva para a economia fluminense, pois mostra que os empresários locais esperam uma evolução no cenário econômico”, destaca Julia Pestana, analista de Estudos Econômicos da Firjan

Mais confiança

Em relação à confiança dos empresários, o destaque está na demanda por produtos industriais e, consequentemente, compra de matérias-primas, além das exportações. Já para contratações e investimentos, os industriais ainda aguardam a redução da ociosidade no processo produtivo e a recuperação efetiva da situação financeira das empresas.

Quanto às expectativas para os próximos seis meses, quatro regiões estão entre as mais otimistas: Centro-Sul, Centro-Norte, Serrana e Nova Iguaçu e Região. O Norte e o Leste fluminense apresentaram evolução na confiança.

Para Carlos Eduardo Lima, presidente da Firjan Centro-Norte Fluminense, apesar da crise econômica, os empresários aguardam que a economia seja destravada para voltar a investir e aumentar a geração de empregos. "O segundo semestre é um período de consumo maior, com datas comemorativas como o Natal. Apesar de alguns setores como Construção Civil e Metalmecânico apresentarem um decréscimo na produção, vemos um pequeno aumento de pedidos nas empresas de Confecção, que emprega hoje aproximadamente 12 mil pessoas e deve demandar mais funcionários nos próximos meses”, ressalta Lima.

Já Valter Zanacoli, vice-presidente da Firjan Serrana, explica que os bons resultados da região são capitaneados por segmentos específicos como Bebidas, Manutenção de Máquinas e Serviços de Tecnologia. “Essas áreas têm atuado com a Firjan e com a Firjan SENAI para viabilizar a aproximação de órgãos públicos e também promover a qualificação, o que tem impulsionado o crescimento. Algumas medidas governamentais estão facilitando a exportação, beneficiando o Polo de Moda e a exportação de equipamentos de segurança”, observa Zanacoli, que também preside o Sindicato das Indústrias Gráficas de Petrópolis (Sigrap).

Projeções futuras

A expectativa para o segundo semestre é de melhora para a indústria, o que pode ser explicado por duas óticas: na esfera econômica, espera-se a continuidade da recuperação do mercado de trabalho e evolução da renda da população, ainda que em ritmo lento. Já na esfera política, a expectativa da reforma da Previdência diminui o risco fiscal no país e sinaliza que as reformas estruturais necessárias serão perseguidas pelo Executivo e Legislativo.

“Há também a expectativa de que a reforma tributária seja discutida e votada no segundo semestre, tema fundamental, principalmente para a indústria. De fato, o avanço das reformas estruturais cria um ambiente de negócios favorável ao crescimento sustentável da economia”, explica a analista da Firjan.
 
Acesse a Sondagem Industrial Regional.

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida