Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Economia do Rio

Firjan debate na Alerj pontos críticos de projeto sobre metas de desempenho para incentivos

Sandro Machado, assessor do Conselho Empresarial de Assuntos Tributários da Firjan, e a empresária Carla Pinheiro, presidente da Ajorio (Associação de Joalheiros do Rio de Janeiro), estiveram na audiência pública

Sandro Machado, assessor do Conselho Empresarial de Assuntos Tributários da Firjan, e a empresária Carla Pinheiro, presidente da Ajorio (Associação de Joalheiros do Rio de Janeiro), estiveram na audiência públicaFoto: Divulgação/Alerj

13/05/19 09:42  -  Atualizado em  13/05/19 16:04

A Firjan participou de audiência pública na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), na última sexta-feira (10/05), para expor as preocupações do setor industrial em relação ao projeto de lei nº 4.187/18, que determina metas de desempenho para a concessão de incentivos fiscais.

De acordo com a proposta, de autoria do deputado Luiz Paulo (PSDB), caberia ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) a avaliação anual dos benefícios concedidos às empresas, recomendando a sua extinção, caso 75% das metas não sejam cumpridas por três anos consecutivos.

“A Firjan tem, desde sempre, uma preocupação muito grande com o tema dos incentivos fiscais porque há, de fato, uma má compreensão sobre os seus efeitos em relação à arrecadação tributária do estado. Alguns agentes atribuem aos benefícios a crise financeira do estado, o que não corresponde à realidade. Por conta disso, constantemente surgem propostas de alteração de regras. Na nossa avaliação, o projeto gera insegurança jurídica e instabilidade”, explica Sandro Machado, assessor do Conselho Empresarial de Assuntos Tributários da Firjan.

Durante a audiência, a Firjan discutiu a aprovação de emendas destinadas ao aperfeiçoamento do projeto. Dentre elas, destacam-se as Emendas 22 e 24, que mantêm a competência da Secretaria de Estado de Fazenda sobre a fiscalização e fixação de parâmetros dos incentivos. “Isso é importante porque o TCE não é o ator competente para tal tarefa, como propõe o projeto”, destaca Machado.

A Firjan defendeu ainda a aprovação da Emenda 20, que propõe a revogação da Lei nº 7.495/16, que também trata de restrições para concessão de incentivos. “É importante que toda nova legislação que surja revogue a anterior. Não podemos ter tantas leis versando sobre o mesmo assunto”, enfatiza Machado.

Contra a guerra fiscal

A Emenda 25 também mereceu especial atenção, pois estabelece a não sujeição dos incentivos concedidos através do Confaz às regras do projeto, evitando, desse modo, guerras fiscais. “Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo já estão com seus programas de convalidação de incentivos fiscais prontos. O Rio ainda está finalizando esse processo e agora surge como o único estado que tem a intenção de criar contrapartidas. Somos a favor de regras transparentes, mas é preciso ter cautela, caso contrário iremos criar condições desfavoráveis para os investidores”, alerta Sérgio Duarte, presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentos do Município do Rio de Janeiro (Siarj) e vice-presidente da Firjan.

Um substitutivo será elaborado e a expectativa é de que fique pronto na próxima semana.

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida