Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Infraestrutura / Economia do Rio

Anuário do Petróleo prevê novo ciclo de crescimento no Rio e estado anuncia nova Superintendência da Economia do Mar

Foto: Vinicius Magalhães

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 26/08/21 15:37  -  Atualizado em  26/08/21 15:54

O mercado de petróleo e gás vai inaugurar um novo ciclo de crescimento no estado do Rio nos próximos anos, segundo projeções feitas a partir dos dados do Anuário do Petróleo no Rio 2021, lançado esta semana pela Firjan. “Esse novo ciclo de retomada do petróleo é uma oportunidade ímpar que o estado tem que agarrar com unhas e dentes para conseguir esse avanço”, avaliou Bruno Freitas, presidente do Conselho de Petróleo, Gás e Naval da federação e Brazil country director da SBM Offshore.

Durante a Websérie Óleo, Gás e Naval da Firjan de 25/08, que marcou o segundo dia de lançamento da publicação, Freitas destacou que o Anuário mostra o investimento total, incluindo os do polo naval. “Cada plataforma traz um contrato de até 26 anos e benefício para toda cadeia de suporte. Só no Campo de Búzios, estão previstas 12 plataformas do tipo FPSO. É um crescimento exponencial”.

Saiba mais - 1o dia de lançamento do Anuário: Firjan estima investimento de R$ 50 bilhões em óleo e destaca potencial de integração energética

Vinícius Farah, secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do Rio, aproveitou o evento para anunciar a criação da Superintendência da Economia do Mar, após pleitos da Firjan para a valorização dessa cadeia. Ele também comentou sobre esse novo ciclo: “É impressionante a quantidade de empresas nacionais e internacionais que todo dia nos procuram interessadas em investir no mercado de petróleo e gás. Estamos fazendo a modelagem de legislações e vamos usar ferramentas para agilizar os processos”, afirmou

Em sintonia com a ideia, o deputado estadual Luiz Paulo contou ter apresentado projeto de lei, em conjunto com a deputada Célia Jordão, prevendo a criação de um programa de incentivo à economia do mar. Luiz Paulo acrescentou que defende esse novo ciclo do petróleo sob nova ótica. “Novas indústrias que gerem emprego e renda aqui, e que os bilhões não sejam nas plataformas no exterior, mas na nossa indústria naval, um dos polos de desenvolvimento do estado”.

Karine Fragoso, gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan, ressaltou outros dados significativos: “Mais de 80% da produção de óleo offshore do país está no estado. E das dez plataformas que mais agregam produção, nove ficam em águas fluminenses”. A 6ª edição do Anuário tem atualização periódica dos dados dinâmicos e mapa interativo com as atividades de óleo no estado, entre outros itens.

O deputado federal Paulo Ganime agradeceu o apoio da Firjan nas pautas da cadeia produtiva do petróleo. “Para a Lei do Gás, a federação deu elementos e informações técnicas. Sobre formação de mão de obra qualificada, não só sobre O&G, mas também na área de inovação, o Sistema S tem contribuído muito”.

Você pode conferir o Anuário do Petróleo no Rio aqui

Assista à Websérie Óleo, Gás e Naval: Anuário do Petróleo no Rio 2021 | Dia 2

 

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida